Biografia

Rafael Figueiredo nasceu em 1985 na cidade de São Leopoldo, aos sete anos mudou-se para Porto Alegre e hoje reside na cidade de Sapiranga. Foi aluno do professor Marcos Maronez com quem iniciou seus estudos em violão erudito e composição. Começou a escrever peças teatrais ainda na escola. Seu repertório autoral conta com mais de duzentas musicas, e contemplam vertentes da musica brasileira como as modas de viola, a trova, a musica popular, além de temas para peças de teatro.  

Influenciado por autores como Ariano Suassuna, Miguel de Cervantes e García Lorca, dedica sua obra a contribuir para o crescimento e fortalecimento da cultura popular. Buscando através da pesquisa e da composição,  desenvolver uma identidade artística coerente com os preceitos dessa cultura. Nas palavras do artista:

“Creio que exista uma fonte perpétua de conhecimento e lirismo popular, e que nós, artistas, precisamos estar atentos permanentemente a ela. Mas não acredito em uma cultura popular estigmatizada, cristalizada ou saudosista, isso seria crer na estagnação ou determinar um limite ao fazer artístico popular. O que vemos hoje é algo que vem acontecendo por anos, a cultura popular é confundida, intencionalmente, com a cultura de massa, feita unicamente para ser vendida ao consumo rápido e efêmero do mercado. Não é feita pelo povo, mas para o consumo do povo. Por isso penso que é função do artista popular reivindicar e defender a identidade cultural de sua terra, mas sempre atento as transformações continuas dessa expressão.”

Educador Social, musico e escritor Rafael busca  unir todas essas influencias e práticas para desenvolver, assim, uma identidade própria em seu trabalho:

“A busca por uma identidade, falando de forma mais objetiva e prática, depende muito do constante exercício de criação, e isso leva tempo. Muitos  artistas passam a vida buscando definir um estilo próprio. É o tipo de coisa que não depende de afinidade ou técnica, mas de um processo subjetivo e profundo de autoconhecimento por isso o exercício de composição é tão importante, pois ao mesmo tempo que o artista cria algo objetivo, esta criação fará parte do seu desenvolvimento como ser humano, e aperfeiçoando a obra irá aperfeiçoar-se também como criador. Dessa forma, acredito que a identidade artística é uma construção constante que busca unir o artista ao seu trabalho, chegando ao ponto de não haver mais distinção entre um e outro. No meu caso, procuro simplificar sempre, tentando manter a originalidade da idéia. Mas ainda me sinto distante dessa fusão, creio que a arte é uma forma de ver o mundo, uma filosofia pessoal, que deve estar presente em tudo o que fazemos. Minha experiência como educador  social, foi uma das coisas me mais me aproximou dessa idéia. Pois foi nesse momento que pude me apropriar de uma luta social sem desvincular meu trabalho artístico, e ao mesmo tempo não vende-lo como uma mera militância política partidária. Creio que uma das funções da arte é a de evidenciar, trazer à tona aquilo que precisa ser dito. E se isso incomodar, melhor."

E é através da musica e do teatro que o artista busca expressar essa luta. Flertando com a linguagem sátira e irônica dos trovadores populares que usavam do humor para criar denuncias contra o poder opressor dos governantes, seu texto é recheado de figuras poéticas que despertam no imaginário uma construção simbólica e lírica ao mesmo tempo em que incitam ao pensamento critico.  Atualmente Rafael dirige o Grupo de Teatro Popular do Instituto Estadual de Ensino na cidade de Sapiranga.